SEJAM BEM VINDOS

ESTE BLOG FOI CRIADO COM OBJETIVO DE DISCUTIR A PAZ NOS ESTÁDIOS .
PARTICIPE DAS POSTAGENS COM SEU COMENTÁRIO PORQUE , ELE É MUITO IMPORTANTE. VAMOS CRIAR UMA MANEIRA MAIS INTELIGENTE DE TORCER!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O Galo

O chargista Fernando Pieruccetti, o "Mangabeira" do jornal "A Folha de Minas" recebeu a missão de conceder a cada clube mineiro um mascote. Algumas pessoas queriam que um pequeno índio fosse o mascote atleticano. Entretanto, Mangabeiras preferiu o galo carijó, aproveitando-se da simpatia que os torcedores tinham com o animal. Mangabeiras justificou a escolha com as seguintes palavras:

«"O Atlético sempre foi um time de raça. Mais parece um galo de briga, que nunca se entrega e luta até o fim!"»
(Fernando Pieruccetti, Mangabeira)
Mangabeiras foi o criador, porém o maior divulgador do mascote foi o lendário jogador Zé do Monte, que defendeu o Atlético nos anos 1950. No período em que atuou no clube, Zé do Monte sempre entrava em campo segurando um galo carijó. E após a conquista do pentacampeonato estadual de 1952 a 1956, a torcida atleticana adotou o grito de "Galo!", entoando-o nos estádios por onde o Atlético joga.
A idéia do mascote Galo, concebida por Mangabeiras, foi um grande achado, de rara felicidade, que, ressalvadas as devidas proporções, assemelha-se às idéias de grandes inventores. O mascote Galo transmite não só a idéia de bravura, coragem, mas de fé, lealdade e liberdade. Vide a famosa "Missa do Galo" no Vaticano. Vide quando Pedro negou a Jesus Cristo por três vezes e o galo cantou advertindo sobre a deslealdade do apóstolo. Vide o galo que figura no escudo da seleção francesa e que significa o "Canto da Liberdade". Tanto que em qualquer lugar do Mundo, o Atlético é mais conhecido por seu mascote do que pelo seu nome institucional, o que torna o Clube Atlético Mineiro um clube diferente, atraente e carismático.

Nenhum comentário: